Blog

Prabhujee

Posted by    |   maio 18th, 2010   |   No Comments

Um dos mantras mais amorosos que já ouvi, Prabhujee fala também da busca pela compaixão, na inspiração de um mestre. Na mitologia hidu, o Deus Shiva é identificado como nossa própria consciência suprema. Segundo o hinduísmo, não há dualidade (eu, você, eu e Deus), somos todos um só. Esta teoria, mais recentemente, também foi levada à cabo pela física quântica. Portanto, se lembrarmos que temos um mestre dentro de nós, que é nossa própria sabedoria ancestral, guardada em nossa memória célular e espiritual, em nosso DNA, e que é preciso estar com os canais límpidos para acessá-la, a melodia adorável de Prabhujee inunda de luz até os recônditos cantos esquecidos e menos ensolarados do coração. E sua letra esclarece porque:

PRABHUJEE
Prabhujee Dayaa Karo
Maname Aana Baso.
Tuma Bina Laage Soonaa
Khaali Ghatame Prema Bharo.
Tantra Mantra Poojaa Nahi jaanu
Mai To Kevala Tumako Hi Maanu.
Sare jaga Me Dhundaa Tumako
Aba To Aakara Baahan Dharo.

***

Oh! Mestre, conceda-me um pouco de compaixão
Por favor, venha e more em meu coração.
Porque sem você, estou dolorosamente só
Encha este pote vazio do néctar do amor.
Eu não sei qualquer tantra, mantra ou adoração ritualista
Eu sei e só acredito em você!
Eu tenho o procurado no mundo inteiro
Por favor, venha e segure minha mão agora.

Há uma versão impecavelmente executada por Ravi Shankar e George Harrison que vale cada segundo. O ex-beatle foi discípulo deste mestre indiano da cítara. Aqui podemos vê-lo tomando aulas e aprendendo a cantar mantras com seu mestre Ravi, em 1968. Ambos ainda jovens. Um trabalho divertido de modificação das ondas mentais, que eleva o espírito.  
 
Cantar mantras é uma arte. A começar pela pronúncia correta, que é essencial, já que no sânscrito, uma das línguas mais antigas do mundo, cada letra do alfabeto corresponde a uma específica vibração (vritti) dos nossos chacras (centro psicoenergéticos). O que significa que pronunciando corretamente e cantando com intenção, você está massageando, estimulando, desobstruindo seus chacras e, portanto, expandindo o potencial de seus canais condutores (nadis) de energia vital (prana). Tem muita gente boa por aí fazendo trabalhos emocionantes com esta poderosa ferramenta. Um bom exemplo é o www.matrika.com.br, que com círculos de práticas e reflexão tem feito muita gente encontrar dentro de si, lugares nunca antes visitados, apenas usando sua própria voz.

Deixe uma resposta